sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Slides e resumo sobre equinodermos

At.
Prof Sandra

Filo Echinodermata
- Échinos = espinhos e derma = pele. Possuem projeções em forma de espinhos presentes na superfície do corpo;
- Possuem um esqueleto interno calcário que emite espinhos;
- Exclusivamente marinhos e de vida livre;
- Em geral são pequenos;
- Possuem pés ambulacrários ou ambulacrais, com os quais se deslocam lentamente. - Esses pés são formados por uma rede de canais por onde a água do mar passa;

 Sistema ambulacrário ou aquífero:
Responsável pela locomoção, respiração, circulação, excreção e tato.
- O sistema começa com uma estrutura chamada madreporito, na superfície superior, por onde a água do mar entra.
- Depois a água passa por canais e chega aos pés ambulacrais.
- Os pés possuem um cilindro que se entende para o meio externo, expandindo-se e retraindo-se , daí se locomovem e têm percepção tátil.
- Respiram por brânquias;
- Tubo digestório completo.
- Possuem sexos separados. Gametas são lançados na água, onde ocorre a fecundação. Do ovo sai uma larva que sofre metamorfose para virar adulto;

*Cinco classes:
- Crinoidea – crinóides é o lírio-do-mar
- Asteroida – asteróide é a estrela-do-mar
- Ophiuroidea – ofiuróide é a serpente-do-mar
- Echinoidea – equinóides são ouriços-do-mar e bolacha-da-praia
- Holothuroidea –holoturóides são os  pepinos-do-mar

Asteróide- estrela-do-mar:
- Possui 5 braços, um disco central;
- Possuem grande capacidade de regeneração, se um braço for cortado, ele será regenerado. Se ao cortar um braço, um pedaço da parte central do animal for junto, ele vai originar outro animal;
- Possuem, em cada braço, uma estrutura capaz de detectar a presença de luz;
- Sem cabeça; sem olhos
- Se alimentam de pequenos moluscos, crustáceos e corais;
- Para se alimentar, ela expele o estômago para o meio externo pela boca. O estômago libera o suco digestório e a digestão acontece fora do corpo do animal.
- Boca na superfície inferior e ânus na superior.

Equinóidea – ouriço-do-mar
- Alimentam-se de algas e detritos orgânicos que encontram no fundo do mar;
- São fixos em rochas ou se locomovem por pedras e podem cavar buracos
- Os ouriços-do-mar possuem o corpo esférico e cheio de espinhos que podem ferir quem pisar neles;

Equinóidea- bolacha-da-praia
- A bolacha-da-praia possui o corpo achatado e pequenos espinhos;
- Alimentam-se de algas e detritos orgânicos que encontram no fundo do mar;
- São fixos em rochas ou se locomovem por pedras e podem cavar buracos.

Hlotuóidea – pepino-do-mar
- Também chamados holotúrias. Recebem esse nome pois possuem o corpo alongado, lembrando um pepino;
- Vivem enterrados na areia e no lodo do mar;
- A boca, em uma extremidade, é rodeada por pés ambulacrários modificados que podem auxiliar na alimentação. Alimentam-se de detritos orgânicos;
- Na outra extremidade o ânus.
- Quando ameaçados, liberam uma massa de filamentos pegajosos que grudam no corpo do predador.

Ofiuróidea- serpentes-do-mar
- Braços finos, longos e flexíveis;
- Alimentam-se de moluscos e crustáceos e detritos orgânicos.

Crinóidea – lírio-do-mar
- Chamados assim porque são semelhantes ás plantas;
- Maioria vive presos ás rochas e outros corpos sólidos;
- Alimentam-se de microrganismos e detritos.















quarta-feira, 27 de julho de 2016

Pessoal, seguem os textos e os slides sobre os Filos Annelida e Mollusca.




                                                                 Ciências
Os seres vivos
Filo Annelida
-       Possuem o corpo alongado e cilíndrico, dividido em anéis ou segmentos; Podem viver na terra úmida, água doce, ou mar;
-       Sistema digestório completo: boca e ânus;
-        Sistema circulatório fechado
-       Parasitas ou de vida livre;
-       Caminho do alimento: Boca, Faringe, Papo, Moela, Intestino, Ânus
-       Musculatura desenvolvida que permite o movimento do animal;
-        Muitos possuem cerdas – estruturas que auxiliam na locomoção;
-       Respiração cutânea (pela pele) ou por brânquias (pequenos filamentos que retiram oxigênio da água);

Três Classes:
-       Oligoqueta
-       Poliqueta
-       Aqueta (Hirudínea)

Classe Oligoqueta
-       Poucas cerdas no corpo;
-       Representantes: minhoca e minhocuçu;

-       Minhocas
-       Nas extremidades anterior e posterior existem células sensitivas – permitem diferenciar claro e escuro;
-       Respiram por meio da pele, que deve estar sempre úmida;
-       Se alimentam de detritos orgânicos, principalmente vegetais, ingeridos com terra;
-       São hermafroditas, mas não se auto-fecundam;
Reprodução das Minhocas
-       Presença do clitelo – estrutura que auxilia na reprodução;
-       União entre duas minhocas para troca de espermatozóides;
-       Ocorre a deposição de espermatozóides nos receptáculos;
-       O clitelo produz um casulo, que ao ser eliminado provoca o encontro dos espermatozóides com os óvulos, realizando a fecundação;
-       O casulo contendo os ovos se separa do corpo do animal;
Locomoção das Minhocas
-       A musculatura de cada anel da minhoca pode contrair-se separadamente;
-       As cerdas prendem o corpo dela no solo durante o movimento;
-       Ela encurta uma parte do corpo e estica a outra, se movimentando no solo;
Importância das Minhocas
-       As minhocas são muito importantes para o solo, pois suas fezes (húmus) são ricas em minerais, ajudando a melhorar a fertilidade do solo;
-       Além disso, ao se movimentar, as minhocas cavam túneis que facilitam a circulação de água e ar.

Classe Poliqueta
-       Possuem muitas cerdas no corpo;
-       Ex.: Nereidas e Palolo;
-       Cada anel apresenta um par de apêndices laterais (parapódios);
-       Maioria marinho;
-       Podem viver livremente ou no interior de tubos calcários que eles secretam;
-       Respiram através das brânquias.

Classe Hirudínea ou Aqueta
-       Não possuem cerdas no corpo;
-       Sanguessugas;
-       Maioria parasita – sugam o sangue de outros animais;
-       Possuem duas ventosas: uma para se fixar e outra para sugar o sangue do animal;
-       Vivem geralmente em riachos e pântanos;
-       Hermafroditas que não se autofecundam. Trocam espermatozódes pelo pênis (fecundação interna) e os que não têm pela pele.



Filo Mollusca
-       É o segundo maior grupo em número de espécies (aprox. 100.000 espécies);
-       Animais aquáticos e terrestres;
-       Animais de corpo mole, geralmente protegido por uma concha ou valva;
-       Se a concha tem uma peça – Univalve;
-       Se a concha tem duas peças – Bivalve;
-        Corpo normalmente dividido em: Cabeça, massa visceral e pé.
Cabeça - ficam os órgãos dos sentidos: tentáculos com olhos e tentáculos especializados no olfato e no tato;
-       Alguns possuem uma língua com dentes de quitina, chamada rádula – usada para raspar alimentos incrustados em rochas;
Massa visceral - é onde ficam os órgãos do indivíduo;
Pé - é uma estrutura muscular que pode ter várias funções: cavar, arrastar-se ou agarrar o alimento;
-       Manto – pele que fica sob a concha e é responsável pela sua formação;

-       Sistema circulatório com coração;
-       Maioria possui sexos separados;
-       Respiração cutânea, por brânquias, ou pulmões;

Três classes principais:
-       Gastropoda (gastrópodes)
-       Bivalvia (bivalves)
-       Cephalopoda (cefalópodes)
-        
Gastropoda
-       Caramujos, caracóis e lesmas;
-       Possuem uma única concha geralmente enrolada em espiral, ou não têm concha (lesma);
-       Vivem no mar, rios, ou terra;
-       Podem ser usados como alimento: Escargot.

Bivalvia
-       Recebem esse nome por causa da concha dividida em duas peças – concha bivalve;
-       Não possuem rádula;
-       Animais filtradores;
-       Vivem enterrados no fundo no mar, ou presos a um suporte;
Produção da Pérola
-       A ostra produz a pérola como forma de defesa contra organismos estranhos que penetram em seu corpo e ficam entre o manto e a concha;
-       Aos poucos, a ostra vai depositando secreções do manto (nácar) sobre organismos invasores (um grão de areia, por exemplo);
-       Assim obtêm-se a pérola, que é muito usada em confecções de jóias e tem grande valor comercial.

Cephalopoda
-       Polvos, lulas, sibas e náutilus;
-       Todos marinhos; Estão entre os maiores invertebrados da Terra;
-       Respiração branquial;
-       Pé transformado em tentáculos;
-       Capacidade de deslocamento rápido – propulsão a jato (liberam um jato de água que empurra seu corpo);
-       Olhos com lentes, que formam imagens detalhadas dos objetos
-       Podem lançar jatos de tinta negra na água para fugir de predadores;

-       Capacidade de camuflagem: mudam a cor da pele contraindo ou expandindo células com pigmentos;

























quinta-feira, 23 de junho de 2016

Slides e texto nematelmintos 2016. Prof Sandra

Olá alunos. Seguem os slides e o resumo dos filos platelminta e nematelmintos. Copiem o de nematelmintos
Prof Sandra.







































Filo platelminta
- São vermes de corpo achatado. Vivem livremente em ambientes aquáticos e terrestres úmidos ou são parasitas. Tem o tamanho de milímetros a metros. O tubo digestório é incompleto, pois tem uma só abertura, pois o alimento entra pela boca e sai fezes. Os de vida livre tem digestão extracelular, no tubo digestório e depois intracelular  nas células do intestino. Os parasitas não tem tudo digestório e se alimentam pela pele

- Planária: platelminto de vida livre, com 1,5 mm. Locomovem-se por cílios, alimentam-se de moluscos, vermes... A cabeça tem órgãos do sentido, os ocelos: detectam claro e escuro (não formam imagens) e os órgãos auriculares: percebem gosto e cheiro. A boca é ventral, o corpo é achatado dorsoventralmente; tem intestino ramificados para distribuir nutrientes já que não possuem sistema cardiovascular.  Reprodução: sexuada e assexuada. As planárias são hermafroditas (um indivíduo possui órgãos feminino e masculino), mas precisam de duas para se reproduzirem sexuadamente: duas planárias sexualmente maduras copulam, trocam espermatozóides pelos poros genitais; os ovos formados são eliminados para o meio exterior até forma outra planária. Na reprodução assexuada se reproduzem por regeneração.

- Tênia: platelminto parasita do intestino delgado, tendo de 3 a 8 metros de comprimento. O tubo digestório é incompleto e o corpo é dividido em três partes: cabeça ou escólex, pescoço e corpo ou estróbilo. O estróbilo é dividido em segmentos chamados proglotes ou proglótides ou anéis. Há 2 tipos de tênia:
Taenia solium (parasita o porco que é o hospedeiro intermediário, alojando a larva do verme e o ser humano que é o hospedeiro definitivo, alojando o verme adulto).
- Taenia saginata (parasita o boi que é o hospedeiro intermediário, alojando a larva do verme e o ser humano que é o hospedeiro definitivo, alojando o verme adulto).
A Taenia solium tem ventosas e ganchos na cabeça, a Taenia saginata só tem ventosas na cabeça para se fixar no intestino delgado.
As tênias causam duas doenças: Teníase e Cisticercose
A Teníase ocorre quando o ser ingere as larvas da Taenia solium ou da saginata. A Cisticercose ocorre quando o ser humano ingere o ovos da Taenia solium.


Ciclo reprodutivo da Tênia -Teníase
1.     Uma pessoa está contaminada com a tênia
2.     As tênias são hermafroditas: cada proglote possui órgãos de reprodução masculino e feminino
3.    A tênia se autofecunda: dobra seu corpo para trocar espermatozóide entre os segmentos
4.     Depois da autofecundação a proglote grávida se desprende da tênia e é eliminada pelas fezes da pessoa (hospedeiro)
 5. As fezes com ovos podem contaminar o alimento e a água que o boi ou o porco come – se lançadas no chão onde não tem saneamento
5. Quando o animal ingere os ovos, deles saem larvas que vão para um músculo do animal
6. Nos músculos, as larvas se transformam em bolsas cheias de líquido, chamadas cisticercos (esferas brancas – chamadas “canjiquinhas”)
8. Quando uma pessoa ingere a carne mal cozida e contaminada com a larva, a larva se aloja no intestino, desenvolve-se e origina uma tênia adulta. O cozimento mata o cisticerco
9. A ingestão da larva provoca a doença Teníase: diarreia, cólicas, náuseas, perda de peso, etc

Ciclo reprodutivo da Tênia - Cisticercose
- A pessoa ingere os ovos da Taenia solium
- No intestino, os ovos transformam-se em larvas e podem se alojar em órgãos como músculos, coração e cérebro (provoca dores de cabeça, cegueira, convulsões e até a morte)
- Nos órgãos, as larvas formam os cisticercos
- Medicamentos podem ajudar a eliminar os cisticicercos, mas às vezes precisa-se de cirurgias

Como evitar a tênia?
- Exigir do governo água tratada, coleta de lixo, tratamento de esgoto, fiscalização da carne
- Não eliminar fezes em locais perto de água, alimentos ingerido por porcos e bois
- Cozinhar bem a carne (mata as tênias), beber água filtrada ou fervida, lavar bem os alimentos, lavar bem as mãos...

- Esquitossomo
Nome científico: Schistosoma mansoni. Verme parasita que causa a doença esquitossomose, “doença do caramujo” ou barriga d’água. Possuem sexos separados, diferente da Tênia e da planária. Fêmea: 1,5 cm (mais fina e mais longa); Macho: 1 cm. O macho tem um canal onde a fêmea se abriga durante a reprodução. Ela o abandona quando põe os ovos
Ciclo Reprodutivo: Uma pessoa está com o verme adulto; O verme vive nas veias do fígado e do intestino delgado. A fêmea põe seus ovos e eles atravessam as veias e vão para dentro do intestino da pessoa. Do intestino, os ovos são eliminados pelas fezes. Os ovos podem cair na água e originar larvas chamadas miracídios. Os miracídios podem entrar em um tipo de caramujo e nele originam outras larvas com cauda, as cercarias. Depois as cercárias penetram a pele humana (se a pessoa estiver na água contaminada), caem na corrente sanguínea e depois nas veias do fígado, depois nas veias do intestino como vermes adultos (macho e fêmea) que vão se acasalar e produzir ovos. A pele penetrada fica vermelha,dolorida e coça. Muitos vermes podem romper as veias e acumular sangue na barriga e isso faz crescer o abdome, porque o fígado e o baço acabam crescendo, causam também dores abdominais, cólicas, náuseas
- Como evitar?
- Exigir do governo obras de saneamento
- Nunca entrar na água que tem os caramujos
- Construir fossas longe de rede de esgoto
- Combater o caramujo hospedeiro




Filo Nematelminta
- Nematelmintos são vermes de corpo cilíndrico e fino, com as pontas afiladas e musculatura desenvolvida – “chicotadas no ar” para penetrar no solo, corpo. Existem nematoides parasitas e de vida livre. São microscópios ou têm milímetros de comprimento. É o Filo onde surge o tubo digestório completo: boca e ânus. Isso permite uma alimentação contínua, pois pode comer enquanto elimina os restos.


- Lombriga
- Nome científico: Ascaris lumbricoides. Parasita o intestino delgado: 4 a 10, ou mais. 15 a 40 cm de comprimento. Provoca a doença Ascaríase ou Ascaridíase: náuseas, vômitos, cólicas, emagrecimento. A lombriga Possui sexos separados: Macho e fêmea.
- Ascaridíase: no intestino as fêmeas são fecundadas pelos machos e liberam até 200 mil ovos por dia. Os ovos são eliminados com as fezes e podem contaminar a água e os alimentos no solo se não há saneamento. Quando uma pessoa põe a mão na boca, engole os ovos. Eles chegam no intestino, se  rompem e liberam larvas . Antes de se instalarem no intestino, as larvas vão para a corrente sanguínea, para o coração de depois para pulmões. Do pulmão vai para os brônquios, traqueia, laringe, são engolidas e retornam para o intestino, ficando adultos.
- Prevenção: lavar alimentos, mãos, consumir água tratada, etc.
- Sintomas: náuseas, cólicas, fraqueza, etc. Pode levar a morte se o intestino for obstruído.
-  Nem todos apresentam sintomas. Só se houver de 30 a 100 lombrigas

- Ancilóstomos
- Espécies: Ancylostoma duodenale; Necator americanus
- Parasita o intestino delgado. Causa a doença Ancilostomíase, Ancilostomose ou “Amarelão”
- Possuem ganchos na boca que provocam ferimentos no intestino, alimentando do sangue liberado. Pela hemorragia, a pessoa fica anêmica, daí a doença também se chama amarelão, A perda de sangue pode levar a uma deficiência na circulação e no coração podendo levar a morte
- Ancilostomose: o verme está no intestino de uma  pessoa contaminada, os ovos são eliminados pelas fezes. No solo do ovo se desenvolve uma larva, se uma pessoa anda descalça, a larva penetra nos pés e vai para a corrente sanguínea, do sangue vai aos pulmões, daí para os brônquios, traqueia, laringe, faringe, esôfago, estômago até o intestino delgado, ficando adultos.
- Evitar: Não andar descalço, ter cuidados com a higiene, tomar remédio...

- Oxiúro
- Nome: Enterobius vermicularis. Possuem sexos separados. Parasita  do intestino grosso. Causa a doença Oxiurose ou Enterobíase. Provoca lesões na mucosa do reto, tontura, vômito, enjoo
- Oxiurose: a pessoa está com o verme, as fêmeas liberam os ovos no intestino grosso, os ovos são eliminados nas fezes e podem contaminar alimentos e a água. Se os ovos são ingeridos, rompem-se no intestino, liberam larvas que ficam adultas recomeçando o ciclo.  À noite, a fêmea quando é fecundada pelo macho, vai à região anal para botar os ovos e causa coceira. Se a região for coçada e levada à boca, reinicia o ciclo também.
- Evitar: lavar as mãos, alimentos, não compartilhar qualquer sanitário...

- Filárias
Wuchereria bancrofti. Verme vive nos vasos linfáticos (faz circular a linfa, líquido que sai do sangue e banha as células). Provoca a doença Filariose ou Elefantíase. Se uma pessoas está com filárias, elas se alojam nos vasos linfáticos, provocam inflamações que podem impedir a circulação da linfa e fazer com que se acumulem em certos órgãos, principalmente nos membros inferiores: incham e deformam .As larvas migram dos vasos linfáticos para o sangue. Quando mosquitos do gênero Culex sugam o sangue da pessoa contaminada, os insetos adquirem a larva e podem contaminar outra pessoa, sendo o transmissor da doença.
- Evitar: combater o mosquito, uso de mosquiteiros, tratamento do doente...